Uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desenvolveu uma nova geração de polímeros, ou seja, macromoléculas, com propriedades antimicrobianas.

O projeto tem como objetivo final a invenção de um revestimento antibacteriano para aplicação em unidades de saúde, pretendendo-se, assim, eliminar bactérias em ambiente hospitalar.

“Manipulando a estrutura do polímero, é possível garantir um desempenho eficaz face a um espectro alargado de bactérias, de forma completamente segura”, destacaram Jorge Coelho e Paula Morais, coordenadores do estudo.

Dada a resistência a antibióticos, esta invenção assume particular relevância ao permitir eliminar bactérias antes de acontecer a transmissão.

“Como é sabido, uma larga maioria das infeções acontece em ambiente hospitalar, sendo, por isso, essencial investigar formas inovadoras de as prevenir e combater. Esta nova geração de polímeros demonstrou a capacidade de eliminar as bactérias, mesmo as mais resistentes, evitando a sua proliferação”, explicaram os coordenadores.

Se tudo correr como o previsto, os investigadores estimam que o novo revestimento antimicrobiano possa entrar no circuito comercial dentro de dois a três anos.