De sete a 12 de outubro, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) decorrerá a reunião final da Raman4Clinics, rede de colaboração que engloba mais de 150 investigadores europeus.

Não obstante ser considerada vantajosa para o diagnóstico precoce de diversas patologias, incluindo o cancro, a técnica de espectroscopia ‘Raman’ ainda é pouco aplicada na clínica.

Foi com o objetivo de introduzir a técnica mencionada na clínica que mais de 150 investigadores formaram a Raman4Clinics, no âmbito das Ações COST, Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia.

A reunião final da Raman4Clinics, seguida de uma Summer School, será realizada através de uma equipa de investigadores da Unidade I&d ‘Química-Física Molecular’ liderada por Luís Batista de Carvalho e Maria Paula Marques.

No âmbito da reunião científica, os vários grupos de trabalho da Ação irão apresentar e discutir os avanços obtidos nos últimos três anos, a par do impacto da aplicação da técnica junto dos utilizadores finais, isto é, médicos e pacientes.

Por seu turno, a Summer School tem como foco investigadores em início de carreira. Neste sentido, jovens investigadores, nomeadamente, estudantes de mestrado e de doutoramento terão a oportunidade de aprender com os especialistas internacionais mais reputados da área de espectroscopia de Raman. Além de palestras, os participantes também terão sessões práticas ‘hands-on’.

A espectroscopia de Raman fornece informação acerca dos compostos presentes numa amostra analisada. Trata-se de uma técnica que, na ótica de Luís Batista de Carvalho e Paula Marques, é “muito rigorosa e fornece informação imediata. Os doentes não têm assim que aguardar dias ou semanas pelos resultados de biópsias”.

A equipa de Luís Batista de Carvalho e Maria Paula Marques tem em curso um projeto pioneiro de investigação que visa a aplicação da espectroscopia de Raman em diagnóstico médico.