All posts in Noticias Sociedade

Nova geração de polímeros para eliminar bactérias em ambiente hospitalar

Uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desenvolveu uma nova geração de polímeros, ou seja, macromoléculas, com propriedades antimicrobianas.

O projeto tem como objetivo final a invenção de um revestimento antibacteriano para aplicação em unidades de saúde, pretendendo-se, assim, eliminar bactérias em ambiente hospitalar.

“Manipulando a estrutura do polímero, é possível garantir um desempenho eficaz face a um espectro alargado de bactérias, de forma completamente segura”, destacaram Jorge Coelho e Paula Morais, coordenadores do estudo.

Dada a resistência a antibióticos, esta invenção assume particular relevância ao permitir eliminar bactérias antes de acontecer a transmissão.

“Como é sabido, uma larga maioria das infeções acontece em ambiente hospitalar, sendo, por isso, essencial investigar formas inovadoras de as prevenir e combater. Esta nova geração de polímeros demonstrou a capacidade de eliminar as bactérias, mesmo as mais resistentes, evitando a sua proliferação”, explicaram os coordenadores.

Se tudo correr como o previsto, os investigadores estimam que o novo revestimento antimicrobiano possa entrar no circuito comercial dentro de dois a três anos.

Cadetes e alunos do Castanheiro entregam propostas de distinção honorífica

As Cadetes do Mar, os Cadetes de Defesa e os alunos do 9º ano do Colégio do Castanheiro entregaram duas propostas de distinção honorífica municipal a José Manuel Bolieiro, presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

O autarca recebeu o grupo de 16 jovens e o professor no Salão Nobre dos Paços do Conselho, numa opção simbólica e atendendo “à bondade dos fundamentos e ao sentido de oportunidade do reconhecimento proposto”.

As propostas incidem na atribuição da Medalha de Ouro do Município ao Farol da Ferraria, nos Ginetes, estabelecido em 1901 e ainda em atividade, e ao Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Ponta Delgada (MRCC). Os proponentes deixaram em aberto a possibilidade de ser atribuída a Chave de Ouro.

O presidente recebeu a documentação por parte da Comandante dos Cadetes do Mar, Mariana Pavão, tendo encaminhado a mesma para a Comissão Municipal de Toponímia e Distinções Honoríficas para a devida instrução processual e posterior deliberação em reunião de câmara.

José Manuel Bolieiro apelou, caso as propostas sejam aprovadas, à participação dos jovens aquando da cerimónia de entrega das distinções, num exercício de participação cívica.

O Farol da Ferraria representa o espírito de missão das guarnições que por lá passaram e o trabalho realizado, ainda hoje, pelos faroleiros. Possui uma arquitetura que combina a arte Neoclássica e a Arte Nova, além de que promove o caráter pedagógico de diversas áreas da Ciência.

A execução da missão do MRCC Ponta Delgada, Maritime Rescue Coordination Center, faz com que Ponta Delgada seja conhecida por todos os homens do mar que demandam o Atlântico e por especialistas da área.

Ponta Delgada é também conhecida como base operacional de um serviço de socorro, cujas elevadas taxas de sucesso, enquadram-no num dos mais prestigiados do mundo.

Campanha para melhorar saúde visual das crianças

A Associação de Profissionais Licenciados em Optometria (APLO) vai promover uma campanha de consciencialização para a saúde visual das crianças em idade escolar.

O objetivo prende-se com a deteção e tratamento precoce da ambliopia e de outros erros refrativos nos mais novos.

“A ambliopia ou olho preguiçoso consiste na diminuição da acuidade visual de um olho ou dos dois olhos não melhorável com óculos ou lentes de contacto, devido a problemas no desenvolvimento da visão, e afeta principalmente as crianças. É um reconhecido problema de saúde pública, sendo a causa mais frequente de perda de visão monocular entre os 20 e os 70 anos de idade”, explica Raúl Sousa, presidente da APLO.

A campanha visa levar optometristas às escolas nacionais para a realização de rastreios visuais às crianças, bem como, para a prestação de cuidados de saúde de visão. Pretende-se, ainda, sensibilizar os professores para os sinais de alerta de ambliopia e outros erros refrativos.

A correção da ambliopia pode implicar o uso de óculos com graduação para correção de erros refrativos, sendo que, nos casos mais graves, pode estar indicada a cirurgia precoce para permitir a estimulação do córtex visual.

A APLO representa os optometristas que se constituem como a maior classe profissional de prestadores de cuidados para a saúde da visão, em Portugal. Atualmente, integra cerca de 1.130 membros.

De salientar que a APLO é membro fundador da Academia Europeia de Optometria e Óptica, membro do Conselho Europeu de Optometria e Óptica e membro do Conselho Mundial de Optometria.

“Os jovens demonstram vontade em participar ativamente na sociedade”, afirma Lúcio Rodrigues

O diretor regional da Juventude, Lúcio Rodrigues, destacou a vontade dos jovens em participar ativamente na sociedade.

O diretor regional falava na abertura do V Colóquio Internacional ‘Os Jovens e Movimentos Globais’, onde salientou que a participação cívica não depende exclusivamente da vontade dos jovens, mas também do envolvimento da restante sociedade.

De acordo com Lúcio Rodrigues, o Governo dos Açores, através da direção regional da Juventude, tem vindo a desenvolver várias iniciativas e programas nos quais “se reflete o interesse e participação cívica dos jovens’.

“O voluntariado juvenil está a ser implementado como estratégia e processo de aprendizagem, de desenvolvimento, de empreendedorismo, de convivência e de coesão social que pretende envolver todos os jovens açorianos numa plataforma de comunicação”, afirmou o diretor Regional.

O colóquio internacional ‘Os Jovens e os Movimentos Globais’ permitiu a reflexão de dezenas de jovens sobre a participação cívica e a sua intervenção política numa esfera pública transnacional.

Curso no Museu do Oriente

De 20 de outubro a 24 de novembro, o Museu do Oriente, em Lisboa, organiza um curso com o professor António Barrento, sob intuito de dar a conhecer um período da História do Japão, da Restauração Meiji até ao final da Segunda Guerra Mundial.

Em seis sessões, das 10h às 13h sob custo de oitenta euros, este curso incide sobre o período Meiji, 1868-1912, o período Taishō, 1912-1926, e as primeiras décadas do período Shōwa, 1926-1945.

Numa primeira parte, o curso centra-se nos principais desenvolvimentos, a nível interno, de ordem política, social, económica e militar, incluindo, por exemplo, a construção de um Estado Moderno e o estabelecimento de uma nova ordem social.

Posteriormente, incide na presença do Japão na ordem internacional, com ênfase na sua participação numa sucessão de intervenções militares no exterior desde a expedição a Taiwan de 1874 até à segunda guerra mundial.

Serão, ainda, abordadas questões como a modernidade e a construção de identidades, a par da religião, alimentação, vestuário e lazer.

O curso é orientado por António Barrento, docente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Doutorado em História da China, Mestre em Língua e Sociedade Japonesas, História da Ásia, Estudos Asiáticos e Estudos Europeus Avançados.

 

Health Innovation 2018 na Universidade Nova de Lisboa

No dia 12 de outubro, entre as 9h e as 18h, a reitoria da Universidade Nova de Lisboa irá acolher o Health Innovation 2018, iniciativa que visa debater os maiores desafios na área da saúde e promover a inovação.

No decorrer do evento, um conjunto de startups pré-selecionadas terão a oportunidade de apresentar os seus projetos a especialistas e investigadores da área da saúde. O dia irá terminar com a cerimónia de entrega do prémio Healthcare City Startup Award 2018, em que uma das startups incubadas na Healthcare City será eleita a startup do ano.

O Health Innovation 2018 é uma iniciativa organizada pela Healthcare City em parceria com a Universidade Nova de Lisboa.

A Healthcare City resulta de uma parceria entre a Nova Medical School, a Janssen, companhia farmacêutica do Grupo Johnson & Johnson, o Grupo Lusíadas Saúde e Médis, sob intuito comum de estimular empreendedores a desenvolver ideias inovadoras para o setor da saúde.

Ensino de português poderá ser lecionado nas escolas públicas da Bermuda

Avelino Meneses, secretário regional da Educação e Cultura, salientou existirem possibilidades de o ensino da língua portuguesa apresentar um “maior ênfase” nas escolas públicas da Bermuda.

O secretário regional falava no final de um encontro com Michael Weeks, ministro do Desenvolvimento Social e do Desporto da Bermuda, tendo referido que o português é a segunda língua com maior repercussão naquele território.

A visita do ministro Michael Weeks a Portugal, com passagem pelos Açores, facilita, na ótica de Avelino Meneses, o “estreitamento de relações” entre dois povos que apresentam semelhanças, uma vez que a Bermuda acolhe uma ampla comunidade de emigrantes açorianos.

O ministro estará nos Açores até quarta-feira no âmbito das relações de trabalho efetuadas entre a Associação de Futebol de Ponta Delgada, a Federação de Futebol da Bermuda e outros agendes desportivos.

 

“Escolas não estão preparadas para apoiar alunos com dislexia”

A Dislex – Associação portuguesa de Dislexia alerta para a escassez de preparação das escolas para acompanhar alunos disléxicos.

Segundo a associação mencionada, a opinião dos especialistas é unânime no que respeita ao trabalho que tem de ser desenvolvido, com vista a capacitar os professores a intervirem ao nível desta perturbação de aprendizagem.

O alerta enquadra-se no Dia Mundial da Dislexia, data que se assinala no próximo dia dez de outubro.

“As escolas debatem-se com a questão da falta de recursos, nomeadamente humanos. Os professores não têm formação na área da dislexia, o que dificulta a identificação atempada e a intervenção de forma diferenciada em contexto de sala de aula”, explicou Helena Serra, presidente da Dislex.

A dislexia apresenta-se como uma condição neurológica que atinge 48% dos alunos e que exige medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão. Trata-se de uma perturbação específica de aprendizagem que se pauta por dificuldades no reconhecimento adequado das palavras.

A formação dos professores, segundo a Dislex, constitui-se como fator essencial para intervir de forma adequada na dislexia, promovendo-se o sucesso escolar.

“A decisão de sinalizar um aluno disléxico terá, como sempre, de decorrer de uma avaliação. No caso dos alunos que estavam já integrados na educação especial, deverá proceder-se a uma reavaliação que permite identificar as medidas que os podem ajudar”, frisou a presidente da Dislex.

Fundada em 2000, no Porto, a Dislex – Associação Portuguesa de Dislexia visa a promoção da investigação na área da Dislexia e a formação de profissionais, com vista a uma maior capacitação dos contextos educativos, a par da intervenção com indivíduos disléxicos.

Investigadores pretendem impulsionar aplicação da técnica de Raman

De sete a 12 de outubro, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) decorrerá a reunião final da Raman4Clinics, rede de colaboração que engloba mais de 150 investigadores europeus.

Não obstante ser considerada vantajosa para o diagnóstico precoce de diversas patologias, incluindo o cancro, a técnica de espectroscopia ‘Raman’ ainda é pouco aplicada na clínica.

Foi com o objetivo de introduzir a técnica mencionada na clínica que mais de 150 investigadores formaram a Raman4Clinics, no âmbito das Ações COST, Cooperação Europeia em Ciência e Tecnologia.

A reunião final da Raman4Clinics, seguida de uma Summer School, será realizada através de uma equipa de investigadores da Unidade I&d ‘Química-Física Molecular’ liderada por Luís Batista de Carvalho e Maria Paula Marques.

No âmbito da reunião científica, os vários grupos de trabalho da Ação irão apresentar e discutir os avanços obtidos nos últimos três anos, a par do impacto da aplicação da técnica junto dos utilizadores finais, isto é, médicos e pacientes.

Por seu turno, a Summer School tem como foco investigadores em início de carreira. Neste sentido, jovens investigadores, nomeadamente, estudantes de mestrado e de doutoramento terão a oportunidade de aprender com os especialistas internacionais mais reputados da área de espectroscopia de Raman. Além de palestras, os participantes também terão sessões práticas ‘hands-on’.

A espectroscopia de Raman fornece informação acerca dos compostos presentes numa amostra analisada. Trata-se de uma técnica que, na ótica de Luís Batista de Carvalho e Paula Marques, é “muito rigorosa e fornece informação imediata. Os doentes não têm assim que aguardar dias ou semanas pelos resultados de biópsias”.

A equipa de Luís Batista de Carvalho e Maria Paula Marques tem em curso um projeto pioneiro de investigação que visa a aplicação da espectroscopia de Raman em diagnóstico médico.

 

 

Vídeo sensibiliza as crianças para a escoliose

A Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral (SPPCV) está a promover um vídeo de sensibilização sobre a escoliose para alunos das escolas secundárias, espalhadas pelo país.

De acordo com o ortopedista Manuel Tavares de Matos, presidente da SPPCV, a escoliose assume-se como uma deformidade em rotação da coluna vertebral com um ângulo superior a dez graus que afeta principalmente adolescentes do sexo feminino.

“Os principais sinais de alerta são os ombros e ancas a alturas diferentes, a inclinação do corpo para um dos lados e uma tumefação nas costas quando as crianças se dobram”, adiantou o presidente da SPPCV.

O vídeo tem por intuito explicar às crianças o que é a escoliose e alertar os professores e educadores para estarem atentos aos sinais de alerta que são fulcrais na deteção da doença.

As escolioses com menos de 20-25 graus exigem apenas uma vigilância regular até à conclusão do crescimento da coluna vertebral.

Por seu turno, em escolioses com uma curvatura entre os 20-25 e os 40-45 graus em adolescentes que estão em fase de crescimento, é recomendado o uso de um colete para impedir o agravamento da curva.

O tratamento deve ser individualizado e ter em conta o risco de progressão da deformidade. O exercício e a fisioterapia não reduzem a magnitude da curva ou o risco de progressão, mas essas opções podem ser usadas como terapia para melhorar a postura e fortalecer os músculos.

https://www.youtube.com/watch?v=qBGegH6jaFU

×