All posts in Noticias Sociedade

Navio ‘Thalassa’ dirige-se para a Holanda

No âmbito do projeto holandês ‘School at Sea’, o navio-escola ‘Thalassa’ partiu ontem em direção à Holanda após parar no Porto da Horta, onde foi esperado por dezenas de pessoas.

A bordo do navio estão as portuguesas Mariana Rosa e Miriam Pinto, alunas da Escola Secundária Manuel de Arriaga, na Horta. A viagem iniciou-se a 21 de outubro do ano passado, onde os jovens partiram de Amesterdão, tendo passado por Tenerife, Cabo Verde, São Martin, Santo Eustáquio, Saba, Dominica, ilha de Curaçao, Aruba Panamá, Providência, Cuba e Bermuda.

O projeto dirige-se a alunos de todo o mundo do ensino secundário com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos de idade e consiste numa vivência a bordo do navio durante um semestre.

O projeto termina em abril, sendo que a paragem na ilha do Faial foi a penúltima antes da conclusão da iniciativa. Dependendo do andamento, o navio poderá parar em Inglaterra ou França.

No próximo dia 18, o ‘Thalassa’ deverá chegar à Holanda, completando-se, assim, seis meses de aventura e aprendizagem.

Estão abertas as inscrições para o concurso ‘Escola Alerta!’

Até ao dia 16 do presente mês estão abertas as candidaturas para o concurso ‘Escola Alerta!’ que visa mobilizar os alunos para a superação da discriminação.

Sob orientação pedagógica de docentes, o concurso mencionado tem por base a divulgação de trabalhos realizados por alunos, onde sejam definidas as barreiras com que todos são confrontados nos espaços públicos em geral e as respetivas propostas de solução.

A iniciativa destina-se a alunos do 1º, 2º e 3º ciclos do ensino básico e do ensino secundário público e privado. Também se podem candidatar crianças e jovens que frequentam centros educativos do Instituto de Reinserção Social ou outras instituições educativas sob tutela do Ministério do Emprego, da Solidariedade e da Segurança Social.

Os trabalhos a concurso devem englobar textos descritivos, acompanhados de suportes audiovisuais, realizados pelas crianças e jovens. A par disso, os participantes podem recorrer a desenhos, fotografias, CD, DVD e PowerPoint.

A avaliação dos trabalhos desenvolve-se em duas fases, sendo que a primeira consiste na apreciação por parte do júri da escola e a segunda por parte do júri nacional.

Na categoria um, respeitante ao 1º e 2º ciclos do ensino básico, e na categoria dois, composto pelo 3º ciclo do ensino básico e secundário, são atribuídos três prémios no valor de 2000, 1000 e 750 euros. Os prémios têm por objetivo a aquisição de material bibliográfico e informático para a escola que beneficie diretamente os alunos.

O concurso ‘Escola Alerta!’ assume-se como uma iniciativa do Instituto Nacional para a Reabilitação em colaboração com os Governos Civis, Direções Regionais de Educação do Continente e Regiões Autónomas e das Câmaras Municipais.

 

 

Jovens açorianas embarcam por seis meses no navio ‘Thalassa’

Mariana Rosa e Miriam Pinto, velejadoras do clube naval da Horta, são as duas jovens faialenses que aderiram ao projeto educativo internacional holandês ‘School at Sea’, uma experiência de seis meses.

O projeto mencionado consiste numa vivência a bordo no navio ‘Thalassa’ durante um semestre e reúne jovens de todo o mundo, com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos.

Em outubro do ano passado, os jovens partiram de Amesterdão, na Holanda, tendo passado por Tenerife, Cabo Verde, São Martin, Santo Eustáquio, Saba, Dominica, ilha de Curaçao, Aruba Panamá, Providência, Cuba e Bermuda. O projeto termina em abril, na Holanda, sendo que a paragem na ilha do Faial é a penúltima antes da conclusão da iniciativa.

O diretor regional destacou o “caráter pedagógico e a riqueza das experiências que estas jovens passaram e que decorreram sem prejudicar os estudos e até, eventualmente, beneficiando-os”.

“Mariana Rosa e Miriam Pinto são um perfeito exemplo para a juventude açoriana, pela sua postura e pela coragem de avançar e de fazer diferente. Seguramente sairão mais ricas com esta experiência e com novos horizontes” – concluiu Lúcio Rodrigues.

Escola Secundária Antero de Quental acolheu sessões-debate do NESUA

O Núcleo de Estudantes de Sociologia da Universidade dos Açores (NESUA) promoveu duas sessões-debate na Escola Secundária Antero de Quental.

O objetivo da iniciativa consistiu na divulgação da Sociologia enquanto ciência que possibilita um olhar diferente em relação à sociedade. Procedeu-se, ainda, ao estabelecimento de uma ligação entre a génese da Sociologia enquanto ciência e as transformações sociais da Europa e no mundo a partir dos séculos XVIII e XIX.

Nas sessões, os participantes realizaram um exercício de distanciamento crítico face à realidade, estabelecendo, assim, uma rutura com as suas experiências sociais.

Sob orientação do professor doutor Álvaro Boralho, Joana Almeida, Joana Ferraz, Mário Chaves Gouveia e Teresa Ferreira do NESUA organizaram as sessões que decorreram a 15 e a 19 de março.

‘Ambiente e Turismo’ é o novo subprograma do OTL J 2018

Hoje, nas instalações da Escola de Formação Turística e Hoteleira, nas Portas do Mar, decorreu a sessão de apresentação do Programa de Ocupação dos Tempos Livres dos Jovens (OTL J) 2018, que conta com diversas novidades.

Contrariamente às edições anteriores, o OTL J 2018 passa a estar dividido em quatro subprogramas, designadamente Ocupação em Férias, Jovens Estudantes, Jovens Ativos e Ambiente e Turismo.

A próxima edição conta com um novo subprograma ‘Ambiente e Turismo’ que, de acordo com o diretor regional da Juventude Lúcio Rodrigues, surgiu do facto de se “viver nos Açores um novo paradigma aliado a questões ambientais e ao o fluxo turístico”. “Achamos por bem dar essa oportunidade aos jovens, para que possam ou não vir a ser técnicos dessas áreas no futuro” –frisou Lúcio Rodrigues ao referir-se à inclusão do novo subprograma.

A sessão de apresentação contou, também, com a presença de Berto Messias, secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, que garantiu que se irão desenvolver parcerias com os parques naturais dos Açores, a fim de que se candidatem ao Programa OTL J.

O aumento da bolsa dos jovens que frequentam o OTL J assume-se como outra das novidades da próxima edição, cujas candidaturas irão decorrer de 1 a 30 de abril. A próximo edição prevê-se a participação de cerca de 2500 jovens em todos os subprogramas do OTL J, num investimento de 500 mil euros.

“O OTL J não é uma mera ocupação de tempos livres. O OTL tem de ser um programa que garante um conjunto de instrumentos e de ferramentas aos jovens de aprendizagem, de enriquecimento curricular” –salientou Berto Messias.

Lúcio Rodrigues, diretor regional da Juventude, elogiou o OTL J, salientando que o mesmo favorece a aquisição de competências no terreno e a participação cívica por parte dos jovens.

“O balanço das últimas edições é muito positivo. Reformulamos algumas áreas do programa, na linha de ser mais apelativo a outras instituições, em particular na questão do ambiente e turismo” – concluiu Lúcio Rodrigues.

Final do concurso Literacia 3Di irá integrar dois alunos açorianos

A fase final do concurso Literacia 3Di contará com a participação de dois alunos da Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira, da ilha do Corvo.

Os dois alunos foram selecionados por mérito, tendo atingido os melhores resultados a nível regional nas categorias de Matemática e de Ciência. A final nacional do concurso referido decorrerá no dia 11 de maio, no Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em Lisboa.

A iniciativa englobou três fases, a local, a distrital e a nacional, sendo que na primeira fase participaram cerca de 130 000 mil alunos.

Promovido pela Porto Editora, o concurso engloba quatro categorias, designadamente Matemática, Ciência, leitura e Inglês e destina-se a alunos do 5º ao 8º ano de escolaridade.

 

Associação Académica da Universidade dos Açores denuncia incumprimentos por parte da reitoria

A Associação Académica da Universidade dos Açores (AAUA) expôs diversas situações que denunciam o incumprimento do regime jurídico das instituições de ensino superior (RJIES) e do decreto de lei nº23/2006.

De acordo com a AAUA, a reitoria da Universidade dos Açores (UAc) não tem cumprido com o dever de estimular atividades artísticas, culturais e científicas e de promover espaços de experimentação. A título de exemplo, a AAUA salientou que a reitoria tende a negar o apoio a diversas propostas que visam conferir “maior vida aos alunos e ao espaço universitário”.

“As respostas da reitoria” são “vagas, sem conteúdo e sem qualquer apoio e, muitas vezes, negadas” – lê-se em comunicado da AAUA.

A AAUA refere, ainda, que a alteração de instalações da associação teve repercussões sobre o movimento da Loja Académica e sobre o Centro de Cópias da instituição que se se encontra num local “desenquadrado do recinto universitário”. De igual modo, a AAUA adianta que as tunas e os núcleos de estudantes não dispõem de espaços que satisfaçam as necessidades logísticas. A AAUA conclui, assim, que a reitoria não está a cumprir com o seu dever de ceder instalações às associações a título de gratuito

Outro dos incumprimentos assenta na não participação da AAUA nos planos de atividades e de orçamento da UAc, na orientação pedagógica, métodos de ensino e planos de estudo.

“É de facto lamentável o incumprimento e o atropelamento constante dos direitos dos alunos e dos órgãos que tentam criar mais atividade e mais vida na Universidade dos Açores. A Associação Académica da Universidade dos Açores não cria nem incentiva posições contrárias a elementos específicos, mas sim contra o atropelamento dos direitos dos alunos que, como já foi argumentado, é constante” – defende a AAUA.

Os “atropelamentos” da reitoria da Universidade dos Açores decorrem, segundo a AAUA, há três anos, sendo que a exposição dos mesmos insere-se no âmbito do Dia Nacional do Estudante.

Comemoração do Dia Mundial da Árvore contou com mais de 600 alunos

Hoje mais de 600 alunos do 3º e 4º ano de escolaridade participaram em várias atividades lúdicas e pedagógicas na Reserva Florestal de Recreio no Pinhal da Paz, no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Árvore.

Técnicos e guardas florestais orientaram os jogos didáticos, cuja temática assentou na floresta, tendo sido criado para o efeito um circuito rotativo, com várias estações.

“Este é um dia para brincar, mas também para aprender junto da Natureza. Estes momentos simbólicos servem para se reforçar a mensagem da importância de bem cuidar das nossas árvores e da nossa floresta junto das novas gerações” – salientou Anabela Isidoro, diretora regional dos Recursos Florestais.

O Dia da Árvore nas restantes ilhas será assinalado com diversas iniciativas que irão englobar cerca de 2400 crianças em ações de sensibilização e atividades, com a plantação e oferta de mais 5600 árvores.

Anabela Isidoro estará presente em diversas atividades lúdicas sobre a temática que irão decorrer amanhã em Angra do Heroísmo.

Voluntariado jovem “é capaz de fazer a diferença”, defende o diretor regional da Juventude

Créditos de imagem: GaCS.

Lúcio Rodrigues, diretor regional da Juventude, destacou a importância do voluntariado desenvolvido pelos jovens no âmbito do Conselho Nacional da Associação Guias de Portugal.

Na ótica do diretor regional, o voluntariado jovem “é capaz de fazer a diferença, mesmo em situações onde, por vezes, os recursos são escassos ou não são aqueles que desejamos”. No que respeita às Guias de Portugal, Lúcio Rodrigues frisou que os projetos desenvolvidos pela organização permitem fomentar conceitos como a responsabilidade do trabalho em grupo, a solidariedade, o compromisso, a autonomia e a democracia.

Lúcio Rodrigues salientou, ainda, que tanto as Guias de Portugal, como o Governo dos Açores, através da direção regional da Juventude, desenvolvem um trabalho favorável à partilha de experiências e que possibilita a aquisição de competências e de empreendedorismo para a vida.

“As Guias de Portugal, a par de outras associações juvenis, são parceiros fundamentais para o desenvolvimento harmonioso dos jovens açorianos” – concluiu Lúcio Rodrigues.

Empresas podem candidatar-se ao programa de Estágios da Fundação da Juventude

Até ao dia 14 de abril estão abertas as candidaturas para o Programa de Estágios de Jovens Estudantes do Ensino Superior nas Empresas (PEJENE).

Esta primeira fase do programa destina-se a empresas e entidades de acolhimento interessadas em receber estagiários, sendo que a segunda fase irá iniciar-se a 18 de abril e dirige-se a jovens estudantes que estejam interessados a candidatar-se a estágio. O programa abrange jovens que estejam a frequentar o penúltimo e último ano de qualquer curso do ensino superior.

As candidaturas podem ser efetuadas através da plataforma www.fjuventude.pt/pejene2018, onde a Fundação da Juventude divulga a lista de vagas para estágio.

Carla Mouro, presidente executiva da Fundação Juventude, salientou que, em 2017, o PEJENE conferiu prioridade a empresas que se inserissem no âmbito da Economia Laranja e da Economia Verde. No entanto, a edição de 2018 não integra critérios de preferência, conferindo, assim, oportunidade de todas as empresas apresentarem candidatura.

“Na última edição do programa PEJENE, a taxa de empregabilidade verificada após a realização do estágio foi de 23%, tendo-se verificado um crescimento de 4% face ao ano anterior” – frisou a presidente executiva da Fundação Juventude.

O PEJENE assume-se como um dos vetores estratégicos da Fundação da Juventude – Emprego e Empreendedorismo, afirmando-se como um fator de enriquecimento curricular. Desenvolvida em 1989, a Fundação da Juventude é uma instituição privada, de interesse público, sem fins lucrativos que incide na Formação, Empreendedorismo e apoio ao emprego Jovem.

×