All posts in Noticias Cultura

Festival da Povoação com cerca de 20 mil pessoas

A Associação de Juventude do Concelho da Povoação prevê que cerca de 20 mil pessoas estejam presentes nos três dias do Festival da Povoação by Nissan.

A iniciativa arranca esta quinta-feira, dia 16 de agosto, com Matay que será o artista principal da noite conhecido pelos êxitos ‘O que tu dás’ e ‘Dizer que não’.

João Paulo Ávila, presidente da direção da Associação de Juventude do Concelho da Povoação, entidade organizadora do evento, salientou que está preparada mais uma edição que promete ficar na lembrança de todos.

“O Concelho da Povoação é o primeiro povoado da ilha de São Miguel e nós queremos manter e afirmar este conceito. É notória a nossa aposta na temática dos descobrimentos e é este o caminho que queremos continuar a seguir”, explicou João Paulo Ávila.

Artistas regionais, internacionais e nacionais estarão presentes no Festival da Povoação by Nissan 2018, cuja abertura decorrerá na Igreja de Nossa Senhora do Rosário com o fado.

No palco da festa estarão presentes Matay e Dj Nikon, estando agendada uma supresa para o final da primeira noite. No dia seguinte, 17 de agosto, os HMB, a melhor banda nacional, e a dupla de DJ Russa Matisse & Sadko irão animar a noite.

A 18 de agosto, realiza-se a atuação da artista brasileira Ludmilla que, pela primeira vez, vem aos Açores, estando, também, agendado o concerto do DJ Will Sparks.

Na qualidade de artistas regionais surgem Dirty Drum Beats, João Moniz & The Daydreamers e Diogo Amaral.

O Festival da Povoação integra-se na plataforma europeia de festivais de música, tendo sido reconhecido, pelo segundo ano, com o selo de qualidade EFFE label.

“É uma grande responsabilidade, mas também uma grande motivação porque sabemos que assim se alarga a dimensão deste festival e se dá maior destaque a este concelho e a esta Região. Sempre foi o nosso desejo e ambição que este festival fosse, também, um veículo promotor da nossa oferta turística e temos conseguido”, adiantou João Paulo Ávila.

Festival Cordas na ilha do Pico com apoio internacional

A terceira edição do Festival Cordas, que se realiza de 12 a 16 de setembro, na ilha do Pico, integra apoio internacional das Canárias e da Finlândia.

A iniciativa, que terá lugar no Auditório da Madalena, contará com o regresso de Beselch Rodriguez e Marco del Castillo que estiveram presentes na primeira edição do festival. Os músicos das Canárias serão, desta vez, acompanhados por Germán López que irá reforçar a presença do Timple, instrumento típico originário do arquipélago espanhol.

Maija Kauhanen apresentará, no concerto de sábado à noite, um típico e antigo instrumento de cordas do folclore finlandês, o Kantele. Maija foi um dos sucessos musicais do Womex 2017, a maior feira de músicas do mundo.

O encerramento do evento será dedicado aos músicos regionais, integrando um programa da Associação de Juventude Violas da Terra, liderado pelo mestre Rafael Carvalho.

O Festival Cordas recebeu nomeações para Melhor Pequeno Festival, Melhor Programação e Melhor Promoção Turística nos Prémios Ibéricos 2018, após ter alcançado a lista dos TOP Melhores Novos Festivais.

Marta Guerreiro, secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, salientou que “não se trata apenas de receber o mundo, mas de fazer dos Açores o centro do mundo, neste caso particular, a partir da ilha montanha e através da MiratecArts”.

O evento assume-se como um projeto da associação MiratecArts, na ilha do Pico, com vários parceiros e apoio da direção regional do Turismo.

Magma Gospel no Alto da Mãe de Deus

Créditos de imagem: MAGMA Gospel Facebook.

No próximo dia 15 de agosto, os Magma Gospel irão atuar no Alto da Mãe de Deus, localizado na freguesia de São Pedro, no âmbito das Noites de Verão.

O concerto, agendado para as 21h30, contará com a presença dos cantores Vania Dilac, Bárbara Azevedo, João Ponte, Marco Medeiros, Maria João Moniz, Patrícia Chaves, Sancha Nair, Hugo Freitas, Cristovão Ferreira e Paulo Bettencourt.

A 16 de agosto, decorrerá o concerto dos One Short of a Quartet às 21h30, na Praça do Município, sendo que no dia seguinte os Booze Band atuarão, à mesma hora, nas Portas da Cidade.

No sábado, dia 18 de agosto, haverá animação infantil com pula-pulas e animação itinerante diversa no lado norte do Largo da Matriz pelas 20h. A partir das 21h30 irão atuar, nas Portas da Cidade, os MANEL.

A 19 de agosto terá lugar o concerto dos PRISMA, nas Portas da Cidade às 21h30.

Festas da Praia com Blaya no domingo

A Blaya irá atuar nas Festas da Praia no próximo domingo, dia 12, pelas 00h30, no Blue Music Resort.

O reagendamento da atuação da artista portuguesa para a referida noite deveu-se ao cancelamento do concerto, por motivos de atraso na ligação aérea Porto Lisboa, que estava previsto para segunda-feira, dia 6 de agosto.

Carlos Armando Costa, presidente da cooperativa Praia Cultural, garantiu que, antes do concerto de Blaya, irão desfilar os grupos integrados no Folk Azores – COFIT 2018, pelas 21h30 nas ruas da Praia da Vitória.

À meia noite decorrerá o lançamento de skylanterns no areal da Praia Grande.

Festival de Dança nas Festas de Nossa Senhora da Piedade

A Associação Unojovens organizou a 5ª edição do Festival de Dança de Ponta Garça inserido nas Festas em Honra de Nossa Senhora da Piedade.

A edição de 2018 integrou oito grupos de dança de diversos pontos da ilha, num total de nove atuações.

O festival visa a promoção dos grupos existentes em São Miguel e a divulgação das artes urbanas para a comunidade.

A vereadora Nélia Alves-Guimarães, em representação do município, elogiou a Associação Unojovens pela realização do festival, destacando a importância das associações na dinamização do concelho.

“Temos de nos orgulhar do trabalho da Unojovens que foi ao encontro dos jovens pontagarcenses e proporcionou atividades de que gostam”, salientou a vereadora.

José Eduardo Costa, presidente da Junta de Freguesia de Ponta Garça, deu os parabéns à Associação Unojovens pelos dez anos de atividade do grupo de dança, salientando a abertura da Junta de Freguesia no apoio das iniciativas dos jovens.

Por seu turno, Octávio Andrade, presidente da Associação Unojovens, relembrou os resultados positivos alcançados pelos Uno Kids e Uno Elite no Campeonato Regional de Dança, “representando Ponta Garça ao mais alto nível”.

A organização da 5ª edição do Festival de Dança contou com o apoio da direção regional da Juventude, da Comissão Fabriqueira das Festas em Honra de Nossa Senhora da Piedade, da Câmara Municipal de Vila Franca do Campo, da Junta de Freguesia e da Casa do Povo de Ponta Garça.

Festival da Povoação arranca este mês

De 16 a 18 de agosto realiza-se o Festival da Povoação 2018 by Nissan que contará com artistas regionais, nacionais e internacionais.

Sob promessas de muita música, praia e diversão, o evento irá arrancar com o fado de Mário Fernandes destinado a um público mais maduro e a muitos dos emigrantes que se encontram de férias.

O grande destaque da iniciativa é a brasileira Ludmilla que, pela primeira vez, irá pisar um palco açoriano com os êxitos ‘Cheguei’, ‘Din, Din, Din’ e muitos outros numa atuação que garante ser “bombástica”.

A par do funk brasileiro, o festival contará com a presença com dois nomes da música portuguesa que têm adquirido sucesso, designadamente HMB e MATAY.

Juntos deste 2007, os HMB lançaram três álbuns entre 2012 e 2017, tendo alcançado um globo de ouro para melhor canção com ‘O amor é assim’. Este ano ganharam mais um globo de ouro para ‘melhor grupo’.

Na qualidade de artistas regionais que irão abrir as noites de festa surgem João Moniz e The Daydreamers, Romeu Bairos, Blif à Regional e Unknow Band.

No panorama dos dj’s o destaque irá para o australiano Will Sparks, havendo, também, presença de Matisse Sadko, Nokin e os locais Diogo Amaral e Dirty Drum Beats.

A edição de 2018 integra, à semelhança das anteriores, atividades desportivas, como Futebol 7 e Voleibol, nos dias 13 e 14 de agosto.

O Festival da Povoação, ‘bom c’mó milho’ é organizado pela Associação de Juventude, cuja direção está a cargo de João Paulo Ávila.

Sara Cruz encheu Lava Jazz com segundo EP

A cantora e compositora micaelense Sara Cruz apresentou, ontem, o seu segundo EP no Lava Jazz, cuja lotação atingiu o limite.

O novo trabalho da jovem “é muito cru, muito orgânico”, tendo a cantora optado por “fugir à mecanização” ao gravar, simultaneamente, a voz e a guitarra para conferir naturalidade aos temas.

“Optei por recorrer ao live recording, por takes, eu e a guitarra. Não gravei por pistas ou com metrónomo para não perder o meu balanço natural e a dinâmica guitarra/voz. Voltei às raízes”, adiantou a compositora.

‘Above Our Heads’ assim se intitula o single do EP que, segundo a jovem, tem como inspiração a “sensação de que há algo muito maior e mais forte do que todos nós. Conseguimos aceder a essa sensação de várias formas, cada um com a sua própria experiência”.

São as experiências pessoais de Sara Cruz que funcionam como inspiração para compor temas. “Não há uma temática propriamente dita, mas, sim, experiências diárias que opto por explorar e adaptar à música”.

O novo single já se encontra disponível, sendo que os restantes temas, numa mistura entre os estilos singer-songwriter, pop e indie-folk, ficarão disponíveis nos próximos meses.

“Este é o culminar do trabalho que tive em Lisboa no início deste ano, durante cerca de quatro meses e meio. Tento não criar expectativas, mas espero que as pessoas gostem. A casa está composta e repleta de família e amigos [risos]”, afirmou Sara Cruz à MegaJovem.

 

Folk Azores regressa à ilha Terceira

De 12 a 19 de agosto decorrerá a 34ª edição do Folk Azores, Festival Internacional de Folclore dos Açores que se constitui como referência internacional.

A próxima edição conta com países como a China, Espanha, Estónia, Itália, Lituânia, República Checa, Roménia, Sérvia, passando pelos grupos nacionais e regionais, orindos de Coruche e da ilha Terceira.

Os grupos participantes irão passar por Centros Sociais e de Dia para a comunidade idosa, e pela Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo. A par disso, estão asseguradas passagens por freguesias de toda a ilha, como Agualva, Lajes, Ribeirinha, Porto Judeu e São Sebastião.

O Centro de Congressos de Angra do Heroísmo irá receber a ‘Gala Internacional do Folclore’ assente em três espetáculos nos dias 15, 16 e 17. O mesmo local acolherá mais uma edição do ‘Folclore no Centro Cultural’, no dia 18 de agosto.

Sessões de cinema japonês no Museu do Oriente

O Museu do Oriente, em Lisboa, apresenta quatro filmes de realizadores contemporâneos nunca estreados em Portugal, dedicando os domingos de agosto ao cinema japonês.

Romance histórico, drama e comédia marcam as sessões gratuitas que se iniciam a partir das 18h.

A 12 de agosto terá lugar a adaptação cinematográfica da série televisiva ‘Mameshiba’, por Toru Kamei, que incide na jornada de um homem que, acompanhado por um cachorro de dois meses, parte em busca da sua mãe que fugiu que de casa.

A sessão de ‘Nobody to Watch Over Me’, de Ryoichi Kimizuka, encontra-se agendada para o dia 19 de agosto e retrata o sofrimento da família de um assassino adolescente. Trata-se de uma história que retrata os perigos das redes sociais e o declínio da família moderna.

O último domingo de agosto será dedicado à comédia ‘Thermae Romae’, uma adaptação popular manga de Mari Yamazaki que ganhou o Grande Prémio de Manga 2010 e o Prémio de Cultura Tezuka Osamu.

Todos os filmes são legendados em português, sendo a entrada gratuita mediante levantamento de bilhete no próprio dia.

Festival RuaCanto na Travessa do Arco de 23 a 25 de agosto

O Festival RuaCanto, uma iniciativa da Câmara Municipal de Ponta Delgada (CMPDL), vai realizar-se na Travessa do Arco, de 23 a 25 de agosto, no âmbito do programa das Noites de Verão.

O “RuaCanto” surge no âmbito do projeto Ruativa, que tem contribuído para a regeneração, promoção de ideias, iniciativas culturais, bens ou serviços, em contacto direto com o público, através da ocupação de espaços atualmente inativos, em zonas urbanas.

“Este envolvimento é temporário, com o objetivo de salvaguardar a imagem e vivência da cidade e, desta forma, preencher os seus vazios com uma realidade regeneradora, representante de uma sociedade empreendedora”, pode ler-se em comunicado da CMPDL.

Na ativação de espaços urbanos a prioridade, este ano, passa por uma intervenção em espaço público, através de um festival, que pretende constituir-se numa plataforma de partilha de informação e desafiar artistas e criadores com uma relação vincada com os Açores a apresentar os seus trabalhos e, desta forma, proporcionar ao público uma experiência cultural e pedagógica, de forma instintiva, direta e imediata.

A localização foi escolhida considerando uma área da cidade a ativar, através do reforço das suas características morfológicas, condicionantes da sua situação isolada.

O festival visa, ainda, proporcionar as melhores condições possíveis de projeção e som de acordo com as limitações e especificidades da intervenção no espaço. Assim, a 23, 24 e 25 de agosto, entre as 21h00 e as 00h15, haverá animação para todos os gostos na Travessa do Arco.

No primeiro dia proceder-se-á à sessão de abertura do festival e vernissage, seguindo-se o concerto de viola da terra com música eletrónica & SOUNDSCAPES, que se prolongará até depois da meia-noite. O Festival Multi Artes será também a 23 de agosto.

Nesse mesmo dia, os convidados apresentarão os seus projetos em 20 slides com 20 segundos por slide para descrever cada imagem. O objetivo é apresentar ao público um máximo de projetos, em várias áreas criativas/culturais, num curto espaço de tempo.

A 24 de agosto, às 21h30, regressa a música com a Viola da Terra e Rafael Carvalho. Segue-se o encontro da viola da terra com a eletrónica com Rafael Carvalho e FliP, e SOUNDSCAPES – Performance Audiovosual – Manipulação de sons urbanos com música ambiente eletrónica, com Filipe Caetano e Elliot Sheedy.

A 25 de agosto, entre as 21h00 e 00h15, terá lugar a Mostra de Cinema Açoriano. Serão apresentadas curtas-metragens, como “Flores” de Jorge Jácome; “O Desvio de Metternich” de Tiago Melo Bento; “EU” de Sara Azad’; “North Atlantic” de Bernardo Nascimento; “AZ-RAP : Filhos do Vento” de Diogo Lima; “Degrau em Grau” de Hugo França e Carolina Rocha; “Adormecido” de Paulo Abreu (diálogo com os convidados). Segue-se a longa-metragem “I Don’t Belong Here” de Paulo Abreu.

A diretora artística da iniciativa RuaCanto é a arquiteta Carolina Augusta de Oliveira, que nasceu em 1982, em Ponta Delgada. Em 2011, mudou-se para Londres, para trabalhar na Universal Design Studio, com os Barber&Osgerby, considerados, em 2013, Designers of the Year.

Anteriormente, trabalhou em Paris e em Nova Iorque, com o arquiteto Jean Nouvel, vencedor do prémio Pritzker, em 2008, e, no ano seguinte, foi premiada com a bolsa Inov-Art, organizada pelo Ministério da Cultura, em Portugal, o que a levou a residir em Los Angeles e a aprofundar conhecimentos sobre estruturas pré-fabricadas. Estudou em Paris, na École d’Architecture de Paris la Villette e licenciou-se na FAUTL, em 2006.

É diretora artística do projeto de regeneração urbana Ruativa, que pretende ocupar, temporariamente, e em diferentes formatos, espaços inativos e desocupados, nos centros urbanos. Atualmente, é sócia principal do Atelier Backlar, sediado em Lisboa, no qual desenvolve projetos na área de arquitetura, design, reabilitação urbana.

A curadora da Mostra de cinema açoriano é Sofia Mont’Alverne Mendes Caetano. Nasceu em 1987, em Ponta Delgada, e licenciou-se em Belas Artes – Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Estudou Realização na RESART e Fotografia no Instituto Português de Fotografia e estagiou como fotojornalista na revista VISÃO.

Completou o Master of Fine Arts em Media Art na Emerson College, em Boston, nos EUA, onde mais tarde lecionou as disciplinas de Introduction to Film Production e de Foundations of Visual and Media Arts Production.

O seu trabalho concentra-se na escrita e realização de cinema e na investigação/experimentação da sua relação com a instalação e consequente espaço expositivo/encenação. A sua filmografia conta com curtas-metragens de ficção, documentário e experimental, videodança, videoclips, videoarte, e mais recentemente, uma série para web.

Do seu percurso destaca-se BLISS (2016) – um híbrido entre o cinema e a instalação, recipiente da Bolsa de Criação Artística Audiovisual e Multimédia do Governo dos Açores. Sofia participou em exposições coletivas em Lisboa, Ponta Delgada, Nazaré, Porto e Boston.

Os seus filmes foram parte integrante de festivais de cinema nos EUA, Japão, México, Turquia, Grécia, Suíça e Portugal. Durante o seu percurso Sofia foi distinguida com o Women in Filmmaking Award pelo Emerson LA Film Festival e com o MFA in Media Art for Excellence pela Emerson College.

Sofia Caetano vive e trabalha entre Pittsburgh, na Pensilvânia, EUA, e Ponta Delgada. Encontra-se atualmente a escrever a sua primeira longa- metragem, The Happiest Man e fundou, com Elliot Sheedy, a produtora The Spectacular House.

O curador de SOUNDSCAPES é Filipe Mont’Alverne Mendes Caetano, que também nasceu em Ponta Delgada, em 1980. É licenciado em Informática de Gestão pela Escola Superior de Gestão de Santarém. O contacto com a musica inicia-se em 2000, bem como a produção de eventos que decorreu de forma profissionalizada até 2011. Trabalhou como Dj, músico, agente e produtor, na grande maioria dos estabelecimentos e festivais de referência em Portugal. Uma experiência que lhe permitiu adquirir um gosto de conteúdo transversal a estilos, géneros ou locais assim como experiência sobre múltiplas formas de abordagem à apresentação dos formatos. Presentemente, a residir na ilha de São Miguel, e além do cargo de gestor, mantém participação regular em eventos culturais ligados diretamente à musica, com os projetos ativos de PMDS, VOYAGERS e FliP.

 

×