Blog Small Thumbnails

“Os deputados não podem comportar-se como estudantes «rebeldes»”

Artigo de Opinião da autoria de Paulo Freitas

Nos últimos tempos, a Assembleia da República tem sido destaque por razões inusitadas. Já não bastava a deputada Isabel Moreira, do partido socialista, pintar as unhas em plena sessão de debate sobre o Orçamento do Estado. O deputado e secretário-geral do PSD, José Silvano, faltou a uma sessão plenária, mas foi feito o registo da sua presença.

Ora, estes comportamentos inadequados por quem tem a responsabilidade de representar os cidadãos, mostra o «estado de coisas» na política portuguesa. Já não é mau, é ridículo. Estes casos não podem ser despiciendos. Os deputados não podem comportar-se como estudantes «rebeldes». A Assembleia da República é o centro da democracia portuguesa.

José Silvano justificou o direito em receber as ajudas de custo dos dias 18 e 24 do mês de outubro, alegando que esteve na reunião da bancada parlamentar e na primeira comissão, respetivamente. Em relação à sua falsa presença na sessão plenária do dia 18, o deputado e secretário-geral do Partido Social Democrata, remeteu o assunto para os serviços da AR.

Já é factual que outro deputado utilizou a password pessoal de José Silvano para marcar a sua presença- Que amigos que eles são!

O problema, na minha perspetiva, não é José Silvano, não é a password, não é o amigo, o problema é a bandeira política do PSD. Quem acompanhou a campanha eleitoral de Rui Rio à presidência do Partido Social Democrata recorda-se de uma célebre frase proferida pelo atual líder do partido, há um ano: «Se há coisa que hoje a política em Portugal precisa é justamente de um banho de ética».

Esta foi uma bandeira que o atual presidente do PSD procurou transmitir para os militantes, para a sociedade e para os meios de comunicação social, diria, em nostalgia aos tempos de Francisco Sá Carneiro.

De facto, a política em Portugal necessita de um «banho de ética» pelos enésimos casos de falta de carácter e de conduta por parte de diversos políticos. Rui Rio está correto e não pode ser culpado pelo que disse. Mas tem de assumir as responsabilidades pelas suas escolhas.

A escolha de Feliciano Barreiras Duarte para secretário-geral do partido foi um fracasso. O homem mentiu em relação ao seu currículo e demitiu-se como não poderia deixar de ser. José Silvano foi o escolhido por Rui Rio para ser o novo secretário-geral do partido e agora está envolvido nesta polémica. A sua demissão é uma nova derrota da estratégia política de Rui Rio.

Este tipo de comportamento vem descredibilizar ainda mais o partido, que não está pronto para as legislativas, nem de perto. A perda do «eleitorado fixo» nas autárquicas vem provar que o PSD está numa encruzilhada e necessita urgentemente de melhorar a sua imagem.

Ao contrário de Santana Lopes, fundador do partido Aliança, considero que o quadrante político da esquerda está mais bem posicionado em matéria eleitoral do que a direita.

Findo recordando a frase daquele que ainda hoje é recordado como um dos melhores políticos portugueses de sempre, Francisco Sá Carneiro: «A política sem risco é uma chatice, mas sem ética é uma vergonha».

Paulo Freitas licenciou-se em Estudos Europeus e Política Internacional na Universidade dos Açores. Foi presidente da direção do Núcleo de Estudantes de Estudos Euro-Atlânticos e vice-presidente da assembleia geral da Associação Académica da Universidade dos Açores.

Atualmente, está a concluir o mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais, com especialização em assuntos europeus pela Universidade Nova de Lisboa.

Abertas inscrições para o Labjovem

Até ao dia 30 de novembro encontram-se abertas as inscrições para a sexta edição do concurso Labjovem.

A iniciativa tem por objetivo sensibilizar para a temática da ‘Eficiência Energética’ e para uma preocupação ambiental e social, destinando-se a jovens naturais ou residentes nos Açores, com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos.

Os candidatos deverão estar enquadrados no 3.º ciclo do Ensino Básico ou no Ensino Secundário e Profissional.

Os trabalhos devem aliar-se ao tema acima mencionado, devendo ser apresentados em formato digital, nas áreas de desenho, vídeo e fotografia. O concorrente deverá assegurar a originalidade e autoria do desenho e submeter apenas um trabalho a concurso.

A candidatura será feita em nome do jovem, sendo a inscrição efetuada por via do preenchimento de ficha de inscrição disponível em www.labjovem.pt. O trabalho e a respetiva ficha de inscrição preenchida deverão ser enviados para o endereço eletrónico info@labjovem.pt.

De referir que na área de desenho, o projeto deverá ser digitalizado e entregue em formato PDF, PNG ou JPEG, e a resolução deverá garantir uma boa qualidade de exibição.

No que respeita à fotografia, os trabalhos serão entregues em formato digital TIFF, PNG ou JPEG, enquanto na área de vídeo os formatos assentam em AVI, MPEG, MOV, MP4 ou WMV, numa duração máxima de cinco minutos.

Aos alunos do primeiro escalão, isto é, do terceiro ciclo do Ensino Básico, que vencerem o concurso serão entregues vales monetários em material escolar. Assim sendo, o primeiro prémio assenta num vale de 125 euros em material escolar, o segundo em 75 euros e o terceiro em 50 euros.

Para o segundo escalão, que engloba alunos do Ensino Secundário e Profissional, os prémios atribuídos apresentam o mesmo valor.

O Labjovem – Prémio Escolas constitui-se como uma iniciativa do secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, por via da direção regional da Juventude, com o apoio da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, através da direção regional da Energia. A iniciativa é organizada pela Associação Cultural Burra de Milho.

Câmara da Horta organiza jornadas de empreendedorismo para os mais novos

A Câmara Municipal da Horta promoveu, pela primeira vez nos Açores, as Jornadas de Empreendedorismo dedicadas aos jovens.

Na abertura da palestra motivacional, que teve lugar na Escola Secundária Manuel de Arriaga, José Leonardo Silva, presidente da Câmara Municipal da Horta, salientou que as jornadas visam motivar os jovens numa altura em que a sociedade está em mudança.

O autarca alertou para a necessidade de “termos engenho” na procura de alternativas de futuro, visto que “o Estado não tem capacidade para dar resposta às necessidades de emprego que existem”.

O segundo dia das IV das Jornadas de Juventude Empreendedora contou com um workshop de escrita humorística por Hélder Medeiros, conhecido por ‘Helfimed’.

“Esta minha aventura começou em 2006. O primeiro filme que fiz foi uma dobragem da Guerra das Estrelas e tornou-se viral. Daí para a frente foi sempre a crescer. Para proliferar na internet é preciso usar do bom senso”, frisou Hélder Medeiros, youtuber com 74 mil seguidores.

Dirigindo-se aos jovens, Hélder Medeiros adiantou que o sonho de qualquer pessoa é tornar o seu passatempo na sua profissão, algo que requer trabalho. “Costumo dizer que o meu caso é um caso de sucesso instantâneo que demorou só 15 anos a acontecer… mais do que ser empreendedor, é preciso dedicação e trabalho para que as coisas deem certo”, afirmou.

Marine Antunes, autora do livro ‘Cancro com Humor’, e Tiago Castro, conhecido como ‘crómio’ dos Morangos com Açúcar, foram os autores da palestra motivacional ‘Se podes sonhar, podes concretizar’.

Resiliência, coragem, autoestima, bullying e preconceito foram os temas abordados, sob intuito de criar empatia com os jovens e inspirá-los a tomarem as suas decisões.

No segundo dia das jornadas, na Escola Profissional da Horta, Viviana Val e Joana Cardoso falaram das suas experiências nas áreas do artesanato e da gastronomia.

“Quis sobretudo mostrar a estes jovens que é possível, ainda que nem tudo seja um mar de rosas, trabalhar naquilo que se gosta para acordar e deitar todos os dias feliz. Faço aquilo que gosto, vou trabalhar com boa disposição e isso para mim, mais do que a questão financeira, é o mais importante”, admitiu a artesã Viviana Val.

Por seu turno, Joana Cardoso, dona do ‘Ah Boca Santa’, confessou que sempre adorou cozinhar e, contra todas as adversidades, deixou o seu trabalho fixo e dedicou-se à cozinha.

“Realizei o meu sonho de criança. Não foi fácil pôr de pé este projeto, mas se fosse fácil não era tão emocionante. A recetividade das pessoas tem sido muito boa e isso dá-nos força para continuar”, disse.

O autor da palestra ‘Volta aos Açores Contra as Dependências’, João Filipe Silva, partilhou a sua experiência em relação à adição. “Vivi na primeira pessoa a adição de substâncias ilícitas e lícitas. É uma doença grave, crónica e mortal em muitos casos, mas temos que a tratar e que a tentar contrariar”, concluiu.

A 4.ª edição das Jornadas de Juventude Empreendedora foi organizada pela Câmara Municipal da Horta, em parceria com a AJIFA e com a direção regional da Juventude.

Novo álbum de Ivo Dias já disponível

‘#Guerreiro’, segundo álbum do cantautor luso-brasileiro Ivo Dias, já se encontra disponível em formato digital.

Trata-se de um trabalho que faz a ligação do clássico ao contemporâneo, do antigo ao moderno, do passado ao presente.

No seu novo trabalho encontram-se presentes elementos da lusofonia, como o fado, a bossa-nova e a morna. ‘#Guerreiro’ integra novos temas inéditos cantados em português e conta com a participação de André Rosinha, no contrabaixo, de Carlos Garcia, no piano, Diogo Duque, no trompete, e Iuri Oliveira, na percussão.

“Há que cultivar uma cultura de exigência, de conhecimento e de sucesso”

A vereadora Maria José Lemos, da Câmara Municipal de Ponta Delgada, elogiou os alunos que receberam o prémio de mérito escolar da EBI da Vila das Capelas.

Em representação do presidente José Manuel Bolieiro, a vereadora participou na cerimónia de entrega dos referidos prémios.

“Vocês serão referências de excelência e exemplos a seguir. A vossa responsabilidade é enorme. Não descurem. Mantenham a vossa dedicação. Sejam persistentes e resilientes”, apelou a vereadora responsável pela área da educação do município.

Maria José Lemos salientou, ainda, que as crianças e os jovens são o futuro, motivo pelo qual “há que cultivar uma cultura de exigência, de conhecimento e de sucesso” que passa “pelo reconhecimento do mérito do seu estudo, da sua postura enquanto alunos”.

Neste sentido, a vereadora lembrou que, desde de 2015, a Câmara Municipal de Ponta Delgada juntou à sua competência de qualificação dos edifícios públicos do 1.º Ciclo do Ensino Básico, a necessidade de atribuir diplomas de mérito e prémios monetários aos melhores alunos do 3.º ciclo, do ensino Secundário, Profissional e do ensino artístico.

“Gostaria também de referir que a preocupação do município de Ponta Delgada se estende ao ensino superior com a atribuição de bolsas de estudo para alunos carenciados do concelho, que se tenham distinguido pela sua excelência”, salientou.

A vereadora terminou a sua intervenção com uma mensagem de incentivo à continuação do bom trabalho. “Os nossos estudantes serão as mulheres e os homens que amanhã contribuirão e decidirão sobre o nosso desenvolvimento e patamar de bem-estar social. Saibamos, por isso, dar-lhes as ferramentas, ensinar-lhes a usá-las e premiar os seus esforços”, concluiu.

Câmara da Horta dá voz aos jovens

Pela primeira vez, em 2019, a Câmara Municipal da Horta irá implementar o orçamento participativo jovem escolar.

A medida foi anunciada por José Leonardo Silva, presidente da Câmara Municipal da Horta, na abertura da quarta edição das Jornadas de Juventude Empreendedora, e partiu de uma reflexão efetuada pelos jovens, por via do Conselho Municipal para a Juventude, Ciência e Conhecimento.

Na perspetiva do autarca, o orçamento participativo jovem escolar assume-se como um “mecanismo de participação cidadã que confere aos jovens a possibilidade de apresentar propostas de investimentos que considerem importantes e que possam ter condições de serem executados pela Câmara Municipal”.

A par da medida referida, foi contemplado no Plano e Orçamento para 2019, sob proposta do conselho mencionado, a realização de ações de sensibilização nas áreas do comércio, turismo, ambiente e da sustentabilidade.

Dirigindo-se ao público jovem, José Leonardo Silva, destacou a importância das jornadas para que “vejam, neste encontro, um desafio à vossa capacidade criativa e à capacidade de reflexão sobre o vosso próprio futuro, em termos profissionais”.

Na ocasião também esteve presente Lúcio Rodrigues, diretor regional da Juventude, que salientou a importância da iniciativa ao conferir aos jovens “conhecimento do que está a ser feito na área do empreendedorismo que é tão diversificado como rico”.

Nos dois dias de jornadas foram apresentados diversos projetos empreendedores em áreas como o turismo, a arte, a literatura, o artesanato, a gastronomia e a vida.

Parque escolar dos Açores “a caminho da sua conclusão”, defende Avelino Meneses

Avelino Meneses, secretário regional da Educação e Cultura, assegurou que no próximo ano as construções do parque escolar da Região poderão ficar concluídas.

O secretário regional falava na Assembleia Legislativa, tendo frisado que as obras escolares na Calheta, em São Jorge, e na Canto da Maia, em Ponta Delgada, ficarão concluídas em 2019.

A par da prossecução das obras nas Capelas, em São Miguel, encontra-se “já lançado” o concurso para a empreitada da Escola de Rabo de Peixe, sendo que o projeto da escola dos Arrifes encontra-se em fase de revisão.

Por seu turno, o projeto de reabilitação da Escola Básica Integrada da Lagoa, na ilha de São Miguel, está em processo análise.

Na ótica de Avelino Meneses, com a conclusão das obras, os Açores ficarão “efetivamente” com o parque escolar “relativamente pronto”, sendo que o Governo Regional continuará a investir no restauro das escolas que não são alvo de intervenção há algum tempo.

No que respeita à área da cultura, a Região “está muito próxima” de alcançar o propósito de dotar cada uma das ilhas com uma unidade museológica de referência.

Esse propósito, de acordo com o secretário regional, está em vias de ser atingido com a consignação do Núcleo do Museológico de Vila do Porto do Museu de Santa Maria, com a inauguração do Museu do Tempo, no Corvo, e com o arranque do Museu Francisco de Lacerda em São Jorge.

No âmbito da cultura, Avelino Meneses destacou, ainda, o lançamento, em 2019, da segunda fase da obra do Museu Carlos Machado, em São Miguel, a recuperação da Torre e do Cinema do Aeroporto, em Santa Maria, e o projeto do Museu da Construção Naval, na ilha do Pico.

A propósito do desporto, a par do acréscimo de 250 mil euros para investimento no próximo ano, Avelino Meneses fez referência ao esforço do executivo no Estádio de São Miguel, atribuindo-lhe as condições necessárias para os jogos da primeira Liga, em que se encontra envolvida a equipa do Santa Clara.

 

‘Fado Vida’ disponível a 23 de novembro

Cláudia Leal prepara-se para lançar, a 23 de novembro, o seu mais recente fado intitulado ‘Fado Vida’.

O seu novo trabalho apresenta uma componente tradicional com letra e música de sua autoria, onde a fadista também se acompanha à viola.

Após a sua estreia como compositora e autora, com o tema ‘O Sal Vem da Saudade’ no seu disco ‘Quarto Crescente’, a fadista tem vindo a compor alguns fados, afirmando-se como intérprete, compositora, autora e instrumentista.

 

Oficina de férias escolares para os mais novos

De 17 a 21 de dezembro, o Museu do Oriente acolherá oficinas de férias escolares que se destinam a crianças entre os sete e os 12 anos.

Na oficina ‘Presentes Aromáticos’, os participantes serão desafiados a confecionar, de diversas formas, bolachas para oferecer a amigos e parentes.

Com base na tradição japonesa do orikata, também se irá proceder à criação de embrulhos e de um cartão com apontamentos de origami.

A oficina terá arranque às 10h00, terminando às 12h30, sob um preço de dez euros, havendo um limite máximo de dez participantes.

Festival Termómetro a dez de novembro

O Festival Termómetro terá lugar no Coliseu Micaelense a dez de novembro, pelas 21h30.

O evento de âmbito nacional conta com o apoio da Câmara Municipal de Ponta Delgada e trará os grupos ‘The FAQs’ e ‘Burgueses’.

No mesmo espetáculo será apresentada a banda ‘Bluish’, que será a segunda a atuar naquela que será a 24.ª edição da iniciativa. Vera Vaz e João Farmhouse estrearam-se a seis de maio de 2017 na Igreja St. George em Lisboa e, desde então, já pisaram palcos no Serralves em Festa, no Porto, nas DAMAS, na ZDB, no Mucho Flow Fest em Guimarães, entre outros.

Os ‘Bluish’ também atuaram na venue Vera em Groningen, na sua recente tour europeia com datas em Paris, Praga e Reino Unido.

A entrada terá um custo de três euros, sendo que os bilhetes estão à venda na bilheteira do Coliseu Micaelense e em: https://bol.pt/.

 

 

Mega Jovem
×