Situada a cerca de uma hora de comboio do Porto: Aveiro, cidade também conhecida como a ‘Veneza Portuguesa’, conquistou-me desde o primeiro momento. Os cinco anos que lá passei foram, sem sombra de dúvida, os melhores de que tenho memória.

A minha aventura em terras aveirenses começou quando fui para lá estudar Tradução especializada em Inglês e Alemão. É verdade que é difícil estar longe de casa, mas os momentos bons (e que estive bem acompanhada) superaram aqueles em que me senti mais sozinha. E, também, é natural, por vezes, sentirmos saudades de casa. Mas, acima de tudo, é preciso ter sempre em mente que toda a experiência contribui para o nosso amadurecimento e aprendizagem pessoal. A partir do momento que estamos por nossa conta numa cidade diferente, o nosso sentido de responsabilidade tende a ficar mais “aguçado”, além de descobrirmos muito sobre nós mesmos.

A Universidade de Aveiro, com os seus espaços amplos e agradáveis, possibilita que se conheça muitas pessoas, oriundas de todo o país, Europa e, até mesmo, de todo o mundo. Estando dividida em departamentos, que estão muito próximos uns dos outros, possibilita, ainda, que se conheça pessoas de outros cursos (e quem sabe um grande amor?). Embora com altos e baixos, a minha experiência académica, no geral, foi bastante positiva. E quanto à praxe: devo dizer que não é nenhum ‘bicho de sete cabeças’ e que vale muito a pena experimentar – mas, claro, ninguém é obrigado. Devo dizer que me diverti bastante nas minhas, que decorreram ao longo do meu primeiro ano, e que terminaram no dia do desfile académico.

Aveiro é uma cidade de muitos encantos. Desde a ria e os seus moliceiros, que romantizam a cidade; a simpatia das pessoas; as salinas e praias de areia branca; passando pela gastronomia (Ovos Moles e Tripas de Aveiro que aconselho vivamente a experimentarem)… Posso dizer que me senti em casa.

Aveiro é uma cidade de estudantes, uma cidade jovem e cheia de vida, que me proporcionou uma experiência inesquecível e que, sem dúvidas, voltava a repetir!

Artigo de opinião da autoria de Bruna Salgueiro, jovem de 24 anos. Natural de São Miguel, Bruna é licenciada em Tradução pela Universidade Aveiro e pós-graduada em Línguas e Relações Empresariais.