A equitação é um desporto que possui três modalidades reconhecidas a nível olímpico: a dressage, o concurso completo de equitação e os obstáculos. Embora se diga que é um desporto individual, eu considero que seja um desporto coletivo, uma vez que o cavalo e o cavaleiro formam uma equipa.

 

Assim sendo, é necessário uma grande sensibilidade e um grande sentido de responsabilidade para que as coisas funcionem, afinal, estamos a lidar com um animal irracional que pesa dez vezes mais do que nós. Posto isto, a equitação não é apenas montar a cavalo, mas tudo o que isto envolve: limpar, tratar e cuidar do animal.

Independentemente da modalidade, é um desporto com imensos benefícios para a nossa saúde: melhora o equilíbrio, a coordenação motora e a postura corporal, desenvolve os cinco sentidos, aumenta a rapidez dos reflexos, melhora a autoestima e a autoconfiança, promove a autonomia e o relaxamento e facilita a socialização. No meu caso, e uma vez que comecei a praticar equitação desde muito cedo, sinto que foi fundamental para o desenvolvimento da minha autoestima e do meu sentido de responsabilidade, para além de me ter ajudado a combater alguns problemas de ansiedade.

Como desporto de competição ou como hobby acho que montar a cavalo é sempre uma mais valia pois, mais do que um desporto, é um modo de vida.

 

Texto da autoria de Raquel Rodrigues, jovem de 21 anos. Natural de São Miguel, Raquel Rodrigues estuda Relações Públicas e Comunicação na Universidade dos Açores, sendo praticante de equitação há dez anos.